h1

Profissão…

1 de maio de 2009

Esses dias, andando pela rua, ouvi o seguinte trecho de conversa antes de continuar minha caminhada:

– Você trabalha com o quê?

– Sou pedreiro.

– Ah…

Quantas e quantas vezes não ouvimos pessoas referindo-se à determinada profissão de forma pejorativa?

– Mas você trabalha nisso por que quer?

Sinceramente, não consigo imaginar uma profissão que seja mais ou menos importante do que outra. Cada uma delas tem a sua importância dentro do contexto sócio-cultural no qual está inserida.

O meu trabalho é escrever. Escrever, criar, inventar, adaptar. E então as pessoas vêm me perguntar “Da onde você tira essas idéias pra escrever desse jeito?” Como se eu lá soubesse. Só sei que busquei conhecimentos específicos para fazer isso. Por quê? Porque é o que eu amo fazer. Agora, me coloquem em frente à uma fórmula de equações logarítmicas biquadradas que verão lágrimas de desespero saírem de meus olhos. Mas para quem ama e estuda matemática, o resultado vem logo depois de alguns vários números e cálculos.

Acreditar que a sua profissão é mais importante (ou inteligente, ou difícil) do que qualquer outra é atestado de burrice. E tenho certeza que aquela mesma mulher que eu ouvi na rua diminuindo a profissão de pedreiro com um sutil “Ah…”, não é capaz de fazer uma mistura perfeita de cimento, cal, água (e o que mais?) para manter uma casa em pé durante anos. Como algum pedreiro fez na casa em que ela própria mora. E o que dizer do homem daquela pastelaria, que faz aqueles pastéis que você adora comer mas não conhece ninguém mais que o faça daquele jeito? E as costureiras? Os engenheiros? Os escritores? Dentistas? Técnicos de som? Pintores? Advogados? Roteiristas?

A única coisa que o conhecimento me traz, é a consciência da minha ignorância.

Busque isso também.

Anúncios

3 comentários

  1. A julgar que, existem inúmeros pedreiros, carpinteiros, lixeiros, entre outros; que possuem muito mais respeito e dignidade em relação a um grupinho aí, que, sinceramente, deixa a desejar. Qual será esse grupo a que me refiro? Qual, qual, qual? E a resposta, diga-se de passagem, fica bem na ponta da língua: os nossos “ilustres” políticos.


  2. Concordo plenamente! Nenhuma é mais ou menos importante. Uma categoria elitizada, em razão de um papel chamado diploma, se acha superior a muita gente! Imagine que nojeira um mundo sem lixeiros? Pois é! Muitos destes mesmos da “elite” são aqueles que jogam o lixo no chão, ou nem sequer respeitam a reciclagem. “Que profissão nobre a dos médicos que salvam vidas!”. Não quero desmerecer ninguém, os médicos salvam vidas sim, sempre dentro do possível. Mas eles não arriscam a deles em prol do próximo. Por isso acho bombeiros, que nem sempre tem o tal diploma, tão santos ou mais.
    Não existe uma profissão melhor ou pior, mas sim quanto de seu coração você põe no que faz.


  3. Lembrando que Jesus era um humilde carpinteiro…



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: